Ethereum e Bitcoin, entenda as diferenças

0
265

As duas criptomoedas mais populares no ambiente digital são Ethereum e Bitcoin, e ambas contribuem para o crescimento do setor.

A primeira criptomoeda criada foi o Bitcoin, e é identificada como ouro digital, ou ouro 2.0, enquanto a Ethereum pode ser vista como um computador descentralizado disponível para o mundo.

A denominação de ouro digital para o Bitcoin se dá porque é durável e escasso como o metal precioso, mas pode ser armazenado e dividido facilmente. 

No caso do Ethereum, ele é visto como um computador descentralizado para o mundo porque se apresenta como uma rede, e o uso é específico para a execução de aplicativos descentralizados, chamados de DApps, ou seja, que não estão sob o controle de uma autoridade central.

Inclusive, essas diferenças básicas podem determinar que há muito a se conhecer sobre Ethereum e Bitcoin e, por isso, é preciso se aprofundar em um assunto que se torna, cada vez mais, pauta entre setores econômicos tradicionais e digitais. 

O princípio das criptomoedas digitais

Apresentado como um grande livro digital, o blockchain ou corrente de blocos, é a base de criação de Ethereum e Bitcoin.

A blockchain do Bitcoin está em um sistema P2P (Peer to Peer) de transação eletrônica. Ou seja, todos os intermediários foram eliminados, sem qualquer órgão governamental central regulando essa criptomoeda. 

No caso do Ethereum, o blockchain está um passo além de apenas a documentação das transações de criptomoedas, que pode ser comercializada por uma empresa de mangueira para hidrante que possui uma carteira digital, por exemplo.

No entanto, Ethereum e Bitcoin estão bem posicionados para agregar valor aos processos financeiros quando se trata de ambiente digital.

Juntos, Ethereum e Bitcoin comandam grande parte do mercado de criptomoedas, com uma participação considerável. Ainda assim, as pessoas costumam colocá-los como “concorrentes”. 

Na verdade, ambos são projetados para executar tarefas diferentes, e atingir objetivos distintos com blockchains únicas, e até mesmo se complementam de várias maneiras. 

Desse modo, para investidores, o mais rentável é aplicar em ambas moedas, conhecendo suas particularidades e objetivos.

Principais criptomoedas são Ethereum e Bitcoin

Quando medido em várias métricas, Ethereum e Bitcoin são as duas principais moedas que se encontram, principalmente em fintechs, instituições financeiras baseadas em tecnologia.

Essas métricas incluem capitalização de mercado, volume de negociação em exchanges de criptomoedas, como as fintechs, e possuem endereços de carteira digital exclusivos, que podem ser adquiridos por uma empresa de ar condicionado que pensa em investir nesse mercado ou uma pessoa física.

A capitalização de mercado, ou limite de mercado, refere-se ao valor total em dólares, a moeda dos Estados Unidos, do suprimento circulante de uma criptomoeda. 

Já os endereços de carteira referem-se a blockchains de caracteres únicos, representando o equivalente a contas na rede de uma criptomoeda.

Entre Ethereum e Bitcoin há diversas semelhanças, pois são ativos baseados em um livro-razão distribuído e exibido de forma pública como blockchain, podendo ser armazenados em carteiras digitais. 

Esses blockchains utilizam strings alfanuméricos como endereços, e são negociados em bolsas de criptomoedas. Isso promove mais segurança às transações.

Como são criptomoedas descentralizadas, significa que não são regulamentadas ou emitidas por bancos centrais ou outras autoridades financeiras,e  podem ser utilizadas para comprar desde filtro osmose reversa para indústria, como outros bens de consumo.

Na verdade, Ethereum e Bitcoin, entre outras criptomoedas, contam com computadores executando cópias de redes, conhecidas como nós, para garantir que todos os participantes estejam na mesma página. 

Explicação básica sobre o Bitcoin

Uma criptomoeda, ou moeda digital, como o Bitcoin, pode ser transferida por uma rede P2P sem a necessidade de qualquer autoridade central. 

O Bitcoin foi inventado em 2008 com o nome de Satoshi Nakamoto.

Todas as transações são armazenadas em um ledger distribuído e imutável, que pode ser acessado por uma carteira digital usada para aquisição de uma portaria autônoma em Bitcoin.

O Bitcoin é criado, armazenado, transacionado e distribuído usando um sistema distribuído e descentralizado, isto é, o blockchain.

Um livro público registra todas as transações do Bitcoin e as cópias são mantidas em todos os servidores ao redor do mundo.

Existe a possibilidade de adquirir uma parte de um Bitcoin, também conhecido como BTC, ou seja, apenas uma fração, se for necessário, e muitas pessoas estão investindo nessa criptomoeda.

O que é Ethereum?

Na verdade, o Ethereum é uma plataforma distribuída baseada em blockchain, que tem uma moeda na rede conhecida como Ether, ou ETH e, assim como o Bitcoin, as transações também são armazenadas em um ledger distribuído e imutável.

O projeto Ethereum foi criado pelo programador russo-canadense Vitalik Buterin, sendo escalável, descentralizado e programável.

Para isso, fornece uma plataforma flexível que serve para criar aplicativos usando a linguagem script solidity.

Toda a plataforma é baseada em blockchain para as transações da criptomoeda Ether, e as transações enviadas e recebidas em contas Ethereum criadas pelo usuário que deseja comprar pisos laminados RJ, por exemplo, caso a loja aceite esse tipo de pagamento. 

Ethereum e Bitcoin formam blockchains diferentes 

Para deixar as diferenças entre Ethereum e Bitcoin bem esclarecidas, vale destacar em subseções, com explicações sobre cada criptomoeda opera em relação a essa categoria financeira digital.

  1. Data de lançamento

O Bitcoin foi criado muito antes do Ethereum, com lançamento para o público em geral nos primeiros meses de 2009. 

Já a plataforma Ethereum e a criptomoeda ETH foram lançadas em em julho de 2015, mas desde então podem servir como forma de pagamento de um projeto de prevenção e combate a incêndio no setor da construção civil.

  1. Funciona como moeda

O Bitcoin foi projetado para ser uma alternativa às moedas fiduciárias tradicionais; essencialmente, sendo usado como um meio de troca e pagamento em primeiro lugar, com outras funcionalidades atuando como um benefício colateral.

Em se tratando de Ethereum, a troca não é a função principal, pois ele foi projetado para ser uma plataforma abrangente e um ecossistema repleto de aplicativos, contratos e programas que podem ser utilizados pelos usuários de maneiras diferentes.

Mas a raiz é a criptomoeda principal, ou seja, o Ether.

  1. Nível de abastecimento

Aqui é possível distinguir uma diferença fundamental entre Ethereum e Bitcoin.

Uma das principais características do Bitcoin é o suprimento limitado em 21 milhões, definido por Satoshi Nakamoto.

Essa quantidade finita de unidades que podem ser cunhadas promove a escassez e, como metais preciosos, pode ajudar a manter o próprio valor. 

Depois que o limite superior de oferta for alcançado, os mineradores digitais devem procurar fluxos de receita, como taxas de transação, uma vez que as recompensas em blocos não estão mais disponíveis. 

De forma alternativa, o Ethereum não tem limites quanto ao valor total, mas limita o fornecimento anualmente, para que um usuário possa pagar um projeto cozinha industrial pequena para um escritório de arquitetura.

Ainda assim, Buterin tenha sugerido a introdução de um limite geral, a rede controla o fornecimento “queimando” o Ether para evitar que mineradores joguem no sistema e tentem manter a moeda deflacionária ao longo do tempo. 

Isso parece resolver parte dos problemas sobre limitação, algo que o Bitcoin pode enfrentar, mas também significa que, como resultado, o valor da moeda pode se tornar mais volátil.

Tipo de algoritmo usado para Ethereum e Bitcoin

O Bitcoin empresa o algoritmo de prova de trabalho para verificar as transações e, no caso do Ethereum, o caminho é se afastar disso e utilizar um algoritmo de prova de participação.

A prova de trabalho é um mecanismo destinado a prevenir hackers e ataques cibernéticos, como a distribuição de negação de serviço (DDoS), que visa esgotar os recursos de um sistema de computador enviando repetidas solicitações falsas.

Em vez de mineradores, validadores são usados ​​no POS (Proof-Of-Stake). Como parte do ecossistema, os validadores armazenam parte do Ether na blockchain. 

Os validadores então apostam nos blocos que acreditam que serão adicionados à cadeia a seguir, e recebem uma recompensa de bloco de acordo com a aposta quando o bloco é adicionado. 

A aposta necessária para se tornar um validador de 32 Ether pode ser retirada como penalidade, em caso de negligência intencional.

Etherium e Bitcoin: prata e ouro digital

Há uma razão pela qual o Bitcoin foi considerado o ouro digital. A explicação é que foi a primeira criptomoeda que ultrapassou U$ 1 trilhão em capitalização de mercado, mesmo que a oferta seja limitada.

Seguindo o mesmo fundamento, a Ethereum é considerada a prata digital, pois foi a segunda maior criptomoeda com uma grande capitalização de mercado e, da mesma forma que o metal precioso, também tem outras aplicações. 

Criptomoedas diferentes mas não concorrentes

Quem não está familiarizado com as criptomoedas pode entender que Ethereum e Bitcoin são concorrentes no mercado, mas isso não é verdade. 

De fato, as criptomoedas baseadas em blockchain possuem estruturas completamente diferentes, mas afetam a vida das pessoas que estão intimamente ligadas às novas tecnologias e transações financeiras digitais. 

Por isso, é importante saber que Ethereum e Bitcoin são ideias diferentes, sendo que a primeira é uma plataforma descentralizada para criar aplicativos, como a distribuição de infoprodutos sobre como financiar um carro sem entrada, e a segunda é uma reserva de valor.

Ambas as criptomoedas são executadas na tecnologia blockchain, tudo para tornar a rede mais segura.

Conclusão

Por fim, dada a proeminência descomunal e funcionalidade estabelecida, mas distinta, Ethereum e Bitcoin estão bem posicionadas para fornecer valor duradouro e, assim, facilitar um ecossistema de criptografia diversificado, maduro e saudável, proporcionando oportunidades para investidores.

Texto originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, canal em que você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here